quarta-feira, agosto 18, 2010

A LÓGICA HIERÁRQUICA DOS IRMÃOS

Fará algum sentido que membros da maçonaria, os supostos irmãos do avental, sejam adversários políticos?
Fará sentido que um deputado de determinado partido da oposição esteja hierarquicamente acima de um membro do governo na tal irmandade?
Terá ainda alguma lógica que um ministro seja subalterno de um secretário de estado nesse grupo de 'manos'?
Tudo isto faz com que a vida política nacional se resuma a um jogo de espelhos e de sombras, numa aberrante encenação, onde os cidadãos se limitam a desempenhar o mero papel de 'papalvos' que de tempos a tempos são chamados a depositar o seu voto, o qual na prática nada dita ou decide...

O PAÍS DOS INTERESSES

Enquanto Portugal continuar a ser controlado pelas várias corporações, pela maçonaria e pela opus dei, num cenário onde os intervenientes na vida política e governativa apenas fazem o papel ridículo de peões desses sinistros interesses, que mais se poderá esperar deste país?

PORTUGAL, PARA ONDE CAMINHAS?

Triste país este onde temos um Presidente que parece mais preocupado em gerir a sua recandidatura do que propriamente com os problemas do país. Um Presidente que promulga leis sem ter qualquer convicção ou simpatia pelas mesmas.

Triste país este onde temos um Primeiro-ministro desgastado, sem ideias, sem capital de credibilidade, e em paralelo um líder do maior partido da oposição que ainda não convence ninguém, e que num dia diz mas no seguinte se desdiz.

POLÍTICA À PORTUGUESA

Silly season o ano inteiro?